Dia Internacional da Mulher 2009 - 1.º Bloco

Autores do 1.º Bloco:
 
rivkahcohen / Grace Spiller / Jandyra Adami / Cida Valadares / Eron Freitas / Humberto Rodrigues Neto
Thais S Francisco "Beija-flor"/ Lêda Melo / Ógui Lourenço Mauri / Sueli do Espírito Santo / Tere Penhabe
Hilda Persiani / Fernando Reis Costa / Marilena Trujillo / Ariovaldo Cavarzan / faffi / Grazi Henriques Ventura
Cândido / Walter Medeiros
 

Carinhoso abraço a todas as Mulheres, pelo Dia Internacional da Mulher.

Março/2009 

 

 

 

 

Iindigesta

 rivkahcohen

 

Que me desculpem os homens, 

nem queria fazer referência, 

mas é tanta mensagem enviada! 

Num mundo

em que vocês é que têm a regência, 

não vou, em nenhum momento, 

agradecer a deferência de ter sido lembrada!

Sei lá.. 

mas quando precisa 

inventar um dia 

para ser homenageada, 

receber as honrarias, 

fico logo desconfiada.. 

Preferiria 

ver o ano inteiro, 

a mulher, sendo respeitada 

do que num só dia 

por tantos cavalheiros, 

aclamada. 

Para mim, soa igual 

a cota para negros! 

Eles, 

nem nós, somos inferior 

para recebermos

 esse agrado dos senhores! 

Sou meio invocada, 

na verdade,

sou indigesta 

e lhes digo logo:

 Senhores, muito obrigada, 

mas eu, Rivkah 

abro mão da festa!

 

rivkahcohen: 

http://www.rivkah.com.br/

 

 

MULHER!!!

 Grace Spiller

 

Santa ou messalina, idosa ou menina, 

executiva, professora ou cozinheira?

Não importa! 

O que conta é a essência feminina, 
as flores que o coração cultiva, 
o amor que o ventre abriga! 
E inda que não saiba tudo o que quer, 
Importa saber que conseguirá, 
pois ela é única! 
Seu nome: 
MULHER!!!
 
 
Grace Spiller:

Jandyra Adami

 

Lembranças de nossas vidas. 

Momentos inesquecíveis que passamos

Tudo isto me faz ter uma saudade imensa.

Nossos passeios, nossas viagens. 

As peripécias que eu aprontava

e tu eras testemunha, cúmplice de tudo.

Nossa vida foi bela, mesmo na pobreza pois havia o amor a nos unir.

Tua luta incansável para nos manter deixou em mim um sabor de riqueza,

de entrega total, sem compromisso com mais nada

a não ser com tua família.

Depois de vivermos tantos anos sob o mesmo teto

Não era possível perder-te, sem mais nem menos.

Mas Deus quis assim e quem poderá opinar contra alguma vontade Dele?

Despedir de ti foi difícil. Olhar tuas mãos inertes sobre o peito,

sabendo de tudo que elas fizeram em vida, foi cruel...muito cruel...

Tua face estava serena, em paz..

Fiquei ao teu lado todo tempo possível... Mas foi tão pouco, não deu

para matar minha sede de ti, da tua presença,

mesmo calada, deitada entre flores perfumadas,

coroas espalhadas, que teus amigos queridos

mandaram em homenagem à tua vida que foi bela

marcante, honrada, cheia de virtudes que todos reconheciam . 

Tua partida foi chorada e sentida pelo que tu eras

Honesta, leal, amiga de todas as horas.

Hoje, Dia Internacional da Mulher eu lembro de ti mãe

Tudo me passa pela cabeça, a nossa vida, as nossas brincadeiras, 

madrugadas inteiras a ler os bons livros, revistas e tudo mais. 

Conversávamos muito.. Tu eras minha confidente e companheira constante

Meus namorados eram teus também pois te amavam

com o carinho que se ama uma mãe de verdade.

Há quase vinte e dois anos partiste. Ninguém te esquece.

Tenho em ti um exemplo a seguir, uma saudade a sentir.

Eternamente estarás comigo pois sinto tua presença

E assim será até o dia de nosso reencontro.

Tua bênção minha mãe maravilhosa...

 

Jandyra- 08-03-2.002

Jandyra Adami: 

http://www.berju.uaivip.com.br/

 

 

MULHER 

Cida Valadares

 

Sim, somos!

Semente e flor 

Sorriso e lágrima 

Sonho e fantasia...

 

 Sim, somos! 

Agonia e saudade 

Sofrimento e o mais puro sentimento

de amor... 

 

Sim, somos! 

O encontro, a espera 

A mais linda construção 

a quimera... 

De todas as estações

A mais triste e a mais bela 

 

Sim, somos!

A meta, a chegada 

O retrocesso... 

Tudo somos e mais ainda 

Tudo quer puder 

 

Quem somos? 

Chamam-nos, doce e

simplesmente de MULHER!.

 

Cida Valadares:

 http://www.arte.poesia.nom.br/

 

 

 DIA DA MULHER 

Eron Freitas 

 

Sei que não tens este rosto,

 Nem sei

Se és mais bonita ou mais feia... 

Não importa o pente que te penteia! 

Importa o que te norteia, 

Importam teus sentimentos, 

Que nos virtuais momentos

Me alcançam e rodeiam!

Me importa teu caráter, 

Me encantam tuas virtudes,

Tua personalidade, 

A tua fidelidade, 

Sem cobrança por igual, 

Impressões que sempre colho 

No olhar angelical!

Mulher: Louvo as tuas qualidades, 

Teus eflúvios de bondade, 

Que festejo alegremente 

Neste dia diferente:

No teu"Dia da Mulher"

 

Eron Freitas:

Faria Canto Mágico e Sonhos

 

 

MULHER!

Humberto Rodrigues Neto 

 

Eu creio, isento de engano,

 Me orgulho, vibro, me ufano 

E aposto com quem quiser 

Que toda data é importante,

Mas delas a mais galante, 

A mais linda e mais marcante 

É mesmo o"Dia da Mulher"!

 

Mãe, irmã, esposa e amante, 

Quem não se curva diante 

Da sua meiguice e candor?

 Sendo tudo ao ser um nada, 

Ela é um misto de anjo e fada, 

Fusão de noite e alvorada, 

Mescla de estrela e de flor!

 

Cabelos vestindo os ombros, 

Flor a se abrir entre escombros,

 Lábios rindo em rosicler... 

Tudo nelas é formoso, 

E o seu sorriso charmoso 

Deixa até Deus orgulhoso 

Por ter criado a Mulher!

 

Humberto Rodrigues Neto:

Reino da Poesia Art Cultural

 

 

Mulher...

Thais S Francisco "Beija-flor"

 

Da criação, traz o dom 

da transformação, quando geras 

do amor consumado, 

o ser, que de ti espera a Luz!

 

Mulher... gera, carrega, se transforma 

e entre lágrimas que a dor confunde,

 dá a Luz, Amamenta, Cria, Cuida 

de noite, de dia, sem da hora se importar.

 

Mulher... 

divide-se e multiplica-se

nas tarefas que se apresentam,

é guerreira, luta, vence batalhas travadas 

contra o preconceito, mostrando ser capaz 

da vida, ensinar outras vidas..

 

Mulher... 

que traz dosado, um pouco de tudo.. 

menina, moça, madura,

 é aprendiz, professora até mesmo juiza.

Doutora, enfermeira, executiva, 

e do lar, cuida com carinho.. 

 

Do botão caído, perdido, logo outro coloca no lugar, 

Do vestuário amassado, com seu jeitinho, 

alisa, e tudo fica impecável..

 

Mulher.. 

mãe, esposa, amante e companheira, 

do sexto sentido, faz sua magia 

adivinha, surpreende, salva. 

Muitas vezes esquece

 de si própria, em prol 

de sua prole

 gerada pelo dom 

do Incondicional Amor!.

 

Mulher.. 

dia 8 de Março

é o marco de sua vitória, 

quando mostrou ao mundo 

a grandeza de sua força ,em romper 

barreiras, superar obstáculos,

 lutar pelos direitos adquiridos.

 

Mulher.. 

O mundo deve tratá-la com 

dignidade, respeito e

 Amor!..

 

Parabéns....Mulher!!! 

Hoje é o seu dia, e com certeza,

todos os outros que ainda virão 

a cada novo amanhecer!..

 

Thais S Francisco "Beija-flor": 

http://simplesmentebeijaflor.com/

 

 

 SOU MULHER

Lêda Mello

 

Não importa a cor, raça e religião,

 Se não sou bela ou sou escultural, 

Tenho comigo herança ancestral 

Que faz morada no meu coração.

 

Sou contraponto, ainda que esquecida, 

Misto de santa e devassa, no sexo,

No corpo o côncavo que acolhe o convexo, 

Na alma a doçura que ameniza a vida.

 

Conduzo o ser que o meu ventre abriga 

E no meu seio encontra a proteção amiga 

Do alimento farto que precisa e quer. 

Pouco interessa se sou frágil ou forte. 

Sou alguém que, vindo, escolheu a sorte 

De ser a mãe, a amante. 

Sou mulher.

 

Arapiraca (AL) - Brasil

Lêda Mello: 

http://www.laurapoesias.com/irmaos_motta_mello/poesias.htm 

 

 

MULHER DE DUPLO PAPEL

Ógui Lourenço Mauri 

 

 A cada 8 de março que chega, o "Dia Internacional da Mulher" dá mostras de que a fatia "homem" da Humanidade vê,

cada vez mais com os olhos do reconhecimento, o papel da mulher na Sociedade. E pari passu com os avanços dela -- inconteste

gênese dos humanos --, têm aumentado, quando chega essa efeméride, as homenagens e as reverências provindas

do vaidoso território masculino.

À mulher, no seu dia internacional, não faltam elogios à mãe, carinhos e afagos à esposa, à namorada, à namoradinha... 

Sobram gestos de apreço à irmã, à amiga mais chegada e menção à parteira do primeiro tapinha. 

E vem o reconhecimento à professora, à médica da família, à instrutora do catecismo... 

No "Dia Internacional da Mulher", dedicam-se preitos de admiração à atriz da novela, à atleta do basquete, 

à cantora, à escritora. Para muitos, bate forte n'alma recordações do ente-mulher que já deixou o mundo dos vivos: 

saudade da esposa que já se foi, da filha precocemente falecida. 

Para certos mortais, paira a imagem da mulher que eles não conheceram: a que morreu de parto no seu nascimento. 

E ainda há os que buscam, em vão, homenagear a mãe que, por razões que não querem saber, 

deixou o ainda bebê na mão de estranhos e desapareceu.

São muitas, justas e crescentes as homenagens que o homem, como indivíduo, tem prestado à mulher. 

É um reconhecimento -- pessoal e todo seu -- dos avanços e conquistas dela nos últimos tempos. 

No entanto, nesses "8 de março" todos, os jornais e meios de comunicação não têm seguido a postura desses indivíduos 

na homenagem à mulher e tampouco têm dado abrangência maior no enfoque das atividades femininas.

A cada "Dia Internacional da Mulher", esses veículos apenas se preocupam em homenagear, destacar, tecer loas 

e descobrir predicados em mulheres empresárias, políticas, artistas, intelectuais, "socialites" e outras do mesmo naipe. 

Suas matérias contemplam geralmente nomes que alavancam a tiragem do jornal ou a audiência da TV. 

Quando não,  focalizam clientes em potencial para suas publicações remuneradas.

Nenhum desses órgãos se lembra de homenagear a mulher que, identificada com a miséria, 

exerce duplo papel na missão que o destino lhe reservou. Aquela que, ignorada pelo jornal, desamparada pela 

assistência oficial e descartada pela população de posses, desempenha, a duras penas, as funções de 

pai e mãe ao mesmo tempo. E, não raro, de avó e avô.

Não precisamos avançar na procura para encontrar mulheres que -- mãe solteira, ou separada, 

ou abandonada pelo marido -- assumem com muito amor e responsabilidade as funções de pai e mãe. 

E as exercem com dignidade, fazendo jus ao respeito e apoio da Sociedade.

É para essa mulher esquecida -- de duplo papel -- o meu aceno, a minha homenagem!  

 

07/03/2003

Ógui Lourenço Mauri: 

http://ogui.mauri.zip.net/ 

 

 

MUJER DE DOBLE PAPEL 

Ógui Lourenço Mauri 

 

A cada 8 de marzo que llega, el "Día Internacional de la Mujer" muestra que el pequeño "hombre" de la Humanidad ve, 

cada vez más con ojos del reconocimiento, el papel de la mujer en la Sociedad. 

Y simultáneamente a los avances de ella -- incontestable procreadora del ser humano --, han aumentado,

cuando llega la efeméride, los homenajes y las reverencias provenientes del vanidoso territorio masculino.

A la mujer, en su día internacional, no faltan elogios a la madre, cariños y mimos a la esposa, a la novia, 

a la enamoradita... Sobran gestos de aprecio a la hermana, a la amiga más cercana y mención a la partera 

de la primera palmadita. También el reconocimiento a la profesora, a la médica de la familia, a la instructora del catecismo... 

En el "Día Internacional de la Mujer", se le dedican tributos de admiración a la actriz de la novela, 

a la atleta del baloncesto, a la cantante, a la escritora. A muchos, les golpea fuerte en el alma recuerdos 

de la gran mujer que ya dejó el mundo de los vivos: añoranza de la esposa que ya se fue, de la hija precozmente fallecida. 

Para algunos mortales, permanece la imagen de la mujer que ellos no conocieron: la que murió en el parto de su nacimiento. 

Y los que buscan, en vano, homenajear a la madre que, por razones que no quieren saber, 

dejó al entonces bebé en manos de extraños y desapareció.

Son muchos, justos y crecientes los homenajes que el hombre, como individuo, le ha prestado a la mujer. 

Es un reconocimiento -- personal y todo suyo -- de los avances y conquistas de ella en los últimos tiempos. 

Sin embargo, en todos los "8 de marzo", los diarios y medios de comunicación no han seguido la postura de esos individuos 

en el homenaje a la mujer y tampoco han dado una mayor cobertura en el enfoque de las actividades femeninas.

A cada "Día Internacional de la Mujer", esos medios sólo se preocupan en homenajear, destacar, alabar y descubrir 

predicados en mujeres empresarias, políticas, artistas, intelectuales, famosas y otras del mismo naipe. 

Sus materias contemplan generalmente nombres que elevan las ventas del diario o la audiencia en la TV. 

Cuando no, enfocan clientes en potencial para sus publicaciones remuneradas.

Ninguno de esos órganos se acuerda de homenajear a la mujer que, identificada con la miseria, 

ejerce doble papel en la misión que el destino le reservó. Aquella que, ignorada por el diario, desamparada por la 

asistencia oficial y descartada por la población de poses, desempeña, a duras penas, 

las funciones de padre y madre al mismo tiempo. Y, no raro, de abuelo y abuela.

No necesitamos avanzar en la búsqueda para encontrar mujeres que -- madre soltera, o separada, 

o abandonada por el marido -- asumen con mucho amor y responsabilidad las funciones de padre y madre. 

Y las ejercen con dignidad, siendo merecedoras del respeto y apoyo de la Sociedad.

¡Es para esa mujer olvidada -- de doble papel -- mi saludo, mi homenaje! 

 

07/03/2003

Ógui Lourenço Mauri: 

http://ogui.mauri.zip.net/

Versión en Español: 

David Yauri - dvdyauri@yahoo.com.br

 

 

MULHER... 

Ógui Lourenço Mauri

 

Pra mim, o "Dia Internacional da Mulher"

 Foi convencionado a partir de tua imagem, 

Pois és amostra de alguém que sempre quer, 

Um exemplo feminino de coragem!

 

Foi de ti, mulher, que ganhei nova vida. 

Tiraste-me a tempo do despenhadeiro, 

Trouxeste o bálsamo pra minha ferida;

Contigo conheci o amor verdadeiro.

 

Abraçaste comigo as causas perdidas, 

Soubeste dar a meu desespero a calma, 

Deste-me o sorriso de mãos estendidas; 

Depois, foi a vez de teu corpo e de tua alma.

 

Mulher!... Ganhaste-me pela lucidez... 

Enorme, nas dimensões de tua bondade. 

Cuida, pois, de meu coração de uma vez, 

Não me deixes fugir a felicidade!

 

Só pode ser das Alturas este enredo, 

Somente Deus nos escreveria tão lindo...

 Uma peça de amor envolto em segredo

 E que tem na platéia anjos aplaudindo.

 

08/03/2007

Ógui Lourenço Mauri:

 http://ogui.mauri.zip.net/

 

 

MULHER... A VIDA!...

Ógui Lourenço Mauri

 

Sim!... É a partir dela que começa a vida... 

Mulher é gênese, alfa da concepção! 

Também é a superprotetora do embrião,

Em sublime encargo, por Deus escolhida.

 

Em seu ventre, traz o feto em proteção. 

Dá à luz!... A espécie que se perpetua! 

Amamenta... Missão exclusiva sua!... 

Enquanto cresce a cria, dá-lhe educação.

 

Do filho, vive as vitórias e fracassos. 

Às vezes, no lugar de mãe e de pai; 

Porém, é aí que sempre se sobressai 

O instinto de uma mulher ao dar os passos.

 

Mulher é a vida... Ela é um ser polivalente!

 Ora é mãe; depois é a companheira e a amante, 

Detalhes que o homem conhece bastante...

Sem ela, não seria um sobrevivente!

 

Mulher é a vida... Se revestiu de glória! 

Competência lhe resultou em conquista. 

Eis que agora na sociedade ela é vista,

Pari passu ao homem, a fazer a História.

 

06.03.2005

Ógui Lourenço Mauri: 

http://ogui.mauri.zip.net/

 

 

¡MUJER... LA VIDA!...

Ógui Lourenço Mauri

 

¡Sí!... Es a partir de ella que empieza la vida...¡

Mujer es génesis, la concepción! 

La superprotectora del embrión,

en sublime encargo, por Dios escogida.

 

En su vientre, el feto bajo protección. ¡

Da a luz!... ¡La especie que se perpetúa! 

Amamanta... ¡Misión exclusiva suya!... 

Mientras crece, la cría, le da educación.

 

Del hijo, vive las victorias y fracasos.

 À veces, en el lugar de madre y de padre; 

mas es ahí que siempre se sobresale 

el instinto de mujer al dar los pasos.

 

¡Mujer es vida... Un ser polivalente!

 Ora madre, ora compañera, amante. 

Detalles que el hombre conoce bastante... 

¡Sin ella, no sería un sobreviviente!

 

¡Mujer es vida... Se revistió de gloria! 

Competencia le resultó en conquista. 

Y que ahora en la sociedad ella es vista, 

tanto como el hombre, haciendo la Historia.

 

06.03.2005

Ógui Lourenço Mauri: 

http://ogui.mauri.zip.net/

Respete los derechos del autor 

Versión en Español: 

Prof. David Yauri  - dvdyauri@yahoo.com.br

 

 

SUBLIME CRIAÇÃO

Sueli do Espírito Santo

 

Mulher, a mais sublime criação

decerto com alguma imperfeição 

mas sempre com sua boa vontade 

semea os gestos de carinho e amor 

cultivando-os como uma linda flor

 e distribui as pétalas de felicidade 

a família, aos amigos, ao parceiro

 dedicando sentimento verdadeiro

 pois que ela é pura sensibilidade.

 

 Ciranda Dia Internacional da Mulher-2007. Iniciada por: Mercília Rodrigues 

para ler outros autores, acesse:

http://www.tekanascimento.net/ciranda_dia_internacional_da_mulher_2007.htm

 

 

MULHER ... TANTOS SIGNIFICADOS 

Sueli do Espírito Santo

 

Uma mulher... e tantos significados 

expressos em sentimentos edificados 

que brotam do fundo de seu coração 

sentimentos que comandam a vida

 tornando-a mais alegre e colorida 

pois a sua essência é pura emoção 

 

Varal Poético Luna&Amigos

para ler outros textos, acesse:

http://www.lunaeamigos.com.br:80/varal/varal12ano7.htm

seu carinho no livro de visitas será bem-vindo

Sueli do Espírito Santo: 

http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=1391

 

 

Sou mulher e sou assim

Tere Penhabe

 

Sou mulher e sou assim: 

Orgulhosa de mim mesma,

sem ser ferina 

às vezes tenho cem anos

em outras, sou só menina.

 

Não preciso apregoar 

a minha capacidade, 

pois a ela faço jus 

sendo mulher de verdade, 

e sou!

 

Nunca abandonei a luta

 por árdua que tenha sido; 

se eu morresse amanhã 

teria a missão cumprida.

 Não deixo rastros.

 

Amei! Muito e sempre, não fui amada.

Porém não cheguei ao ponto de ser desprezada. 

Também a ninguém desprezo apenas ignoro.

 

Já estive de joelhos, na cama e na vida, 

para consolar meu parceiro

para dar-lhe a força perdida. 

Não tive paga fui abandonada.

Mas nunca por mim mesma 

que me amo demais para isso!

 

 A vida é sempre bela 

dependendo do que fazemos com ela, 

e eu faço o melhor.

 

Dei à luz e ao mundo, uma filha, com orgulho! 

Com amor a eduquei, sozinha.

Do pai só teve a semente 

o resto foi obra minha 

e mereço os louros.

 

Agora dizem que é meu dia...

 - Internacional e com louvor - 

Agradeço, mas dispenso o penhor, 

porque meus, são todos os dias da minha vida, 

que nunca foi nem será, uma guerra perdida...

 

Para ser lembrada dessa maneira, 

homenageada com flores... 

Eu mereço muito mais louvores!

Mereço o respeito de quem tinha tanto para doar 

e só uma costela quis dar... 

Aos que deram mais... o meu respeito também!

 

Santos, 14/02/2006

Tere Penhabe: 

www.amoremversoeprosa.com

n.a.: esse poema fará parte do livro "Amor em verso e prosa" Vol. I - a ser editado em 2009.

 

 

Mulher 

Hilda Persiani 

 

Quando menina, é adorável, 

Quando moça, nos fascina 

E os corações domina, 

Com seu sorriso amável.

 

Como Senhora , é linda, 

Como esposa, é encantadora, 

Como mãe, comovedora, 

Sua beleza não finda...

 

Quando a juventude vai embora,

Torna-se então, complacente

 E da beleza dessa Senhora,

Do seu olhar de candura, 

Emana uma luz tão pura,

Mais linda que a do sol poente!...

 

Hilda Persiani: 

AVSPE - Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores

 

 

A TI, MULHER!...

Fernando Reis Costa

 

A ti, Mulher... 

Que nasceste para amar e ser amada, 

Criada para dar vida à própria vida;

E que és ainda tantas vezes maltratada 

Nesta sociedade louca, corroída...

 

A ti, Mulher...

Que negados vês ainda alguns direitos

E te oprimem da suma liberdade, 

Como se fosses serva fiel da sociedade

Neste mundo sujo em preconceitos...

 

A ti, Mulher...

Que pela natureza tu és bênção querida...

E em teu peito tens o leito e dás guarida

À ternura, ao carinho e ao amor...

 

A ti, Mulher...

Quero exaltar o teu real valor...

Não hoje simplesmente, aqui, agora!

 

Mas...

    que o Dia da Mulher... o seja sempre:

- Hoje, amanhã, e a toda a hora,

E te libertes das garras do furor

Desta sociedade incompetente e corrompida!

 

A ti, mulher...

Baixa, alta, branca, negra, magra, obesa...

Flor, fruto e semente que dás vida à própria vida;

Que és do carinho e do amor rainha da beleza

Obra-prima e divina da própria Natureza...

Mulher, filha, esposa, mãe ou avó querida...

 

A ti, Mulher...

- E sem favor - ...

Eu quero exaltar

Nos versos que declamo em teu louvor:

- Curvo-me perante ti, Mulher, por seres quem és! -

Deixo estes humildes versos a teus pés!

E neles... em cada palavra uma flor!

 

Fernando Reis Costa: 

http://artculturalbrasilreinodapoesia.blogspot.com.br/2009/02/fernando-reis-costa.html

 

 

A TI, MUJER!... (español) 

Fernando Reis Costa 

 

A ti, Mujer... 

Que naciste para amar y ser amada, 

Creada para dar vida a la misma vida;

 y que eres también tantas veces maltratada 

En esta sociedade loca, corroída...

 

A ti, Mujer... 

Que negados ves aún algunos derechos 

Y te mezquinan la total libertad 

Como si fueras la sierva fiel de la sociedad 

En este sucio mundo de preconceptos...

 

A ti, Mujer... 

Que por naturaleza eres bendición querida...

 Y en tu pecho tienes lecho y das cobijo

 a la ternura, al cariño y al amor...

 

A ti, Mujer...

 Quiero exaltar tu real valor...

 ¡No hoy simplemente, aquí, ahora!

sino... que el Día de la Mujer - lo sea siempre:

 - Hoy, mañana, a toda hora, 

Y te liberes de las garras de la furia 

De esta sociedad incompetente y corrompida!

 

A ti, mujer... 

Baja, alta, blanca, negra, delgada, obesa...

 Flor, fruto y semilla, que das vida a la misma vida; 

Que eres del cariño y del amor reina de belleza

 Obra maestra y divina de la misma Naturaleza, 

Mujer, hija, esposa, madre o abuela querida...

 

A ti, Mujer...

- Y sin favores...

 Yo quiero exaltar

 En los versos que declamo en tu honor:

 ¡- Inclínome ante ti, Mujer, por ser quien eres!

 - Dejo estos humildes versos a tus pies

Y en ellos... cada palabra es una flor!

 

Fernando Reis Costa:

http://artculturalbrasilreinodapoesia.blogspot.com.br/2009/02/fernando-reis-costa.html 

 

 

Sou Mulher! 

Marilena Trujillo

 

Já fui mulher, sofrida, obediente, 

Maltratada, carente, escorraçada. 

Tive donos e senhores...

Já fui mal falada, mal entendida. 

Vista como um animal irracional, tão banal... 

 

Lágrimas muitas regaram 

Minha esperança de um dia, 

Assim como Deus me fez 

Ser admirada, amada, respeitada. 

 

E com minha crença, minha fé, 

Fui escalando arduamente 

Montanhas de desrespeito, 

Mantendo minha ternura, 

Própria de mulher... 

 

Assim como Maria Madalena 

E tantas Marias mais... 

Nenhuma pedra me impede 

De tropeçar e levantar... 

Errar e acertar... 

 

Hoje sou Mulher ainda doce, 

Ainda sonhadora, mas corajosa, 

Lutadora, competente. 

E também amante ardente... 

 

Amo e sou amada, afinal, 

Deus me fez para isso... 

Sou Mulher, sou gente!...

 

05.03.2005

Mary Trujillo: 

http://marytrujillo.zip.net/

 

 

És Mulher... 

Ariovaldo Cavarzan

 

És carinho infindo,

insondável vontade,

 esperança, ânimo, saudade, 

afeto verdadeiro e lindo...

 

És o claro-escuro 

que vem despertar 

de sonhos, 

a cada manhã...

 

És espiritualidade

 e matéria,

 és felicidade, 

és dor,

és eterna vontade

és amor... 

 

És sombra benfazeja, 

fruta doce, 

luz que se irradia 

e água fresca que sacia...

 

És o cantar alegre 

de pássaros, 

no arrebol,

 e és estrela cadente

 despencada,

em noites caídas 

depois do sol.

 

És o pulsar 

dentro do peito, 

és água, fogo, ar, 

és amor que não tem jeito,

 és o sossego e a calma,

 depois do chorar...

 

És o riso escancarado

 de claras manhãs, 

és brisa fresca 

que suavisa 

cotidianas jornadas, 

és rumo, norte, sorte,

 és futuro ainda sonhado...

 

És presença que faz falta, 

ternura de hora certa, 

mão que afaga, 

abraço que conforta,

 carinho que liberta,

és esperança, porta,

 estrada, jeito de fazer novo 

cada novo amanhecer...

 

És companheira,

 amiga, amante, confidente,

 és paixão verdadeira, 

és tudo o que quiser, 

porque, realmente, 

és anjo de Deus,

 és Mulher...

 

05.03.09

Ariovaldo Cavarzan: 

AVSPE - Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores

 

 

Você Mulher! 

faffi..

 

Maria, Joana, Éster, Fabiana...

Você mulher, que sofre calada,

 que tem uma vida agitada... 

 

Levanta cedinho, vai na padaria, 

compra pão, prepara o café do marido, 

depois sai correndo, com medo de perder a condução.

 

Você mulher que trabalha como diarista, balconista, frentista.. 

Você é uma grande artista!

Faz malabarismo pra seu dinheiro render, 

faz dieta no jantar, pra comida sobrar, 

faz ilusionismo pra ninguém notar

 que está cansada e quer dar um basta 

nesta vida danada...

 

Você mulher, que nem sonhar pode,

em ver seus filhos formados , 

seu marido trabalhando...

porque sonho, não é para pobre. 

 

Nem dormir direito você dorme! 

e quando dorme, sonha com a conta de luz atrasada, 

que a água foi cortada...

Eta vidinha danada! 

 

Você mulher, é uma Heroína! 

que triste sina lhe foi dada, 

mas você é corajosa e hoje é o seu dia 

Você sabia? 

Eu te desejo; 

Sorte na vida!

 

faffi:

AVSPE - Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores

 

 

DIA DA MULHER 

-Grazi henriques Ventura-

 

Depois de uma noite, muitas vezes mal dormida, 

Levanto-me de manhã, ainda entorpecida.

 Cansada do trabalho do dia anterior.

 

A esperar por mim, problemas que só eu sei a saída 

Que nem dá para cuidar de minha vida.

 Pensando: Hoje vai ser bem melhor!

 

E então roubo alguns minutos para rezar, 

Agradecendo à Deus, de novo recomeçar. 

Assim, o dia mais depressa vai passar.

 

Começo então agora minha lida.

 Em uma desabalada corrida. 

Para ter tudo sempre a tempo e a hora.

 

Tanto o que fazer, 

Tanto o que cuidar!

 Sem espera, sem demora.

No dia Internacional da Mulher, 

A vida não pode esperar!

 

(Grazi - 8-3-2009) 

Grazi Henriques Ventura: 

http://www.familiaborbapinheiro.com/poeta_grazi.htm

 

 

O Dia da mulher 

Cândido

 

Levanta-se cedinho, 

Passa pelo duche do banheiro, 

Vai ao espelho colocar, no rosto, a caixinha da saúde, 

Acorda os garotos, prepara o café da manhã,

Acorda o marido que ainda ronca, 

 

Veste os garotos; Leva-os ao colégio; 

Segue para o emprego; 

Atura o chefe; 

Ao almoço come uma sanduíche, de pé, e, bebe um café azedo; 

Regressa ao trabalho; 

Sai às 6 da tarde e vai ao colégio buscar os filhos; 

Fala com eles pelo caminho sobre os trabalhos de casa;

 Chegando a casa, vai colocar a roupa suja na máquina; 

Lava a louça do café da manhã;

Faz as camas; 

Passa a ferro as roupas dos meninos e as camisas do marido; 

Prepara o jantar; 

Janta;

Lava a louça do jantar; 

Deita os garotos; 

Vai fazer a sua higiene antes de ir dormir. 

O marido exige fazer amor. 

Mesmo exausta, ela cede, claro. 

Adormece e sonha que é feliz.

Estou a falar da mulher Europeia,

 Da americana, 

Da Brasileira.

 

A mulher africana, 

A Indiana, 

A muçulmana, 

A paquistanesa,

 A malaia e a chinesa,

 Essas, nem dia têm.

 

Para elas todos os dias são noites. 

 

 

Uma homenagem a Lois 

Walter Medeiros* 

- walterm.nat@terra.com.br 

 

O Dia Internacional da Mulher - 8 de Março - tem sido uma data marcante, pelas manifestações, pela luta,

 pelas homenagens, pelas reflexões e pelo registro que é feito nos mais  diversos meios, pelo mundo inteiro.

Além da lembrança da origem da data - o massacre das operárias em 1857- sempre são referidas 

mulheres de todos os lugares e todos os tempos que fizeram ou fazem 

da sua vida um exemplo a ser seguido por toda a humanidade.

Nesse 8 de Março de 2009 quero trazer para os leitores alguns dados da vida de uma mulher que

 teve um papel importante e de alcance inestimável, cuja atuação mudou o rumo 

de muitas vidas, contribuindo para a harmonia de milhões de lares. 

Uma mulher cujo trabalho resultou da experiência adquirida com o seu próprio sofrimento e que apesar de 

todos os problemas que enfrentou nunca desistiu e conseguiu implantar uma instituição que certamente vem mudando o mundo.

Ela teve origem numa família estruturada, equilibrada, onde tinha um irmão, foi educada com amor, 

recebeu lições de união, perdão, paz; a mãe, do lar, o pai médico ginecologista e cirurgião.

 Mas seu casamento foi algo de convivência difícil, ao que somaram-se três gravidezes tubárias, insanidades,

 discussões, intolerâncias, resultado do alcoolismo do seu marido, 

a quem chegou até a dizer, certa vez: "Você não tem sequer a decência de morrer..." . 

Foram 17 anos de convivência e sofrimentos para ambos, pois no seu alcoolismo seu marido era um doente 

e a doença causou a destruição das carreiras de ambos.

Depois de todas as Turbulências do Alcoolismo, nasceu a sublime e abençoada associação de Alcoólicos Anônimos, 

em 1935, pelas mãos de Bill W. e Robert (Bob) Schmidt, com a colaboração, apoio e compreensão daquela mulher. 

Refiro-me a Lois Wilson, nascida em 04 de março de 1891 e falecida em 06 de outubro de 1988, que fundou, em 1951, 

os Grupos Familiares Al- Anon, cujo objetivo é ajudar aos familiares de alcoólatras a compreender a doença alcoolismo 

e conviver com os problemas que a doença acarreta para as famílias dos alcoólatras. 

Em recente evento destinado a profissionais, uma representante daquela irmandade explicou que Al-Anon 

surgiu da mesma 'necessidade' de Alcoólicos Anônimos - a necessidade de 'dialogar', 

de uma pessoa entender a outra, delas falarem a mesma linguagem, trocarem as experiências vividas 

com seus entes queridos doentes, que tanto lutavam para largar a bebida e não conseguiam. 

As esposas dos alcoólatras descobriram que o estado em que se encontravam era resultado 

do convívio sob o domínio do álcool, quando familiares e amigos dos alcoólatras se tornavam pessoas também doentes, 

de uma doença emocional. 

A troca de experiências mostrou o caminho a seguir, e dali surgiu o lema da entidade:"Evite o primeiro atrito".

 Segundo Al-Anon, ao evitar o primeiro atrito os familiares fazem com que muitos problemas sejam evitados também, 

pois sempre que existe um confronto com um alcoólatra - embriagado ou não - as conseqüências podem ser drásticas.

Lois é considerada uma heroína, pelo trabalho realizado com a sua amiga Anne, mulher do Dr. Bob. 

Elas continuam servindo de exemplo para mulheres de mais de 130 países onde funcionam grupos daquela irmandade.

O Estado de Nova Iorque e mais de dez organizações dos Estados Unidos saúdam Lois

como uma das Mulheres mais importantes do Século XX.

Ela foi homenageada com o Prêmio Humanitário do Conselho Nacional sobre Alcoolismo dos Estados Unidos.

Com este pequeno relato espero que as mulheres e os homens do mundo inteiro mantenham viva a lembrança 

daquela valente mulher, que conseguiu empreender uma luta pacificadora, não contra a bebida alcoólica, 

mas a favor das famílias de pessoas que não podem beber controladamente, por serem portadores da doença alcoolismo.

 

*Jornalista - Natal/RN

Reino da Poesia Art Cultural

 

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS