Carruagem do Tempo 

Ciranda familiar
 
 
Autores:
 
Isa Gilioli dos Santos / Grace Spiller / Ricardo Spiller / Alice Giliolli Bisi Sandra Spiller / Débora Pagels
 

Ciranda familiar, iniciada em 19/04/2006, por Isa Giliolli dos Santos, irmã da Grace. Nove textos, seis autores.

Ao final, informações sobre o nome "Grace Spiller" e o que motivou a Ciranda Poética

 

 

 

MARIA DA GRAÇA

por Isa Gilioli dos Santos

 

 

 

Maria... Maria... Maria da Graça...

Embora você não goste,

Este nome tem muita raça!

 

Maria... Maria... Maria da Graça,

Hoje só Grace...

Grace é uma grande poeta,

Poeta de doces palavras,

Doces como o seu nome,

Nome doce como o mel,

Nome da Nossa MÃE Do Céu!

 

Quando Maria, a Cheia de Graça,

Soube que seria a Mãe do Salvador

Visitou sua prima Isabel

E falaram sobre o anúncio do Anjo Gabriel...

 

Pura coincidência... não sei...

Assim como nós - duas irmãs - Maria da Graça e Isabel,

Ganhamos um sobrinho neto,

Filho da Anne, nossa afilhada em comum:

O lindo anjinho Gabriel!!!

 

 

 

 

ISA - A NOVA POETISA!

por Grace Spiller

 

 

 

Ah, Isa, Isamaninha,

Escondendo-se nas entrelinhas,

Falando a quem queira saber

Que nada sabe escrever...

 

"Aniversários, Páscoa ou Natal:

Nenhuma mensagem, nenhum cartão sai...

Ou então, fica tudo igual!

 

"Mas, eis que de repente,

Na cadência da emoção,

O verbo se desprende

Contradizendo a razão!

E o olhar generoso,

Pelo coração direcionado,

Faz o elo carinhoso

Ficar mais adocicado!

 

A distância física e a razão,

Num momento, preteridas,

Dão espaço ao coração

E às palavras queridas,

Que num repente sobejam

Na mana Isa, nossa nova poetisa!

 

Beijos,

Grace

 

 

 

 

FAMÍLIA GILIOLLI

por Ric (Ricardo Spiller)

 

 

 

Olhem, que essa família Giliolli tá é cheia de escrita...

Ora Isa, ora Grace, ora Maria...

Agora o Ric - que não é Giliolli,

mas de vez em quando até dá uma "bica"!

Eita vida, agora só tá "fartano" é a "Hirda",

que de escrita não se arrisca,

mas na "sopinha" é ela quem dita...

Tem pãozinho, tem café, leite e açúcar...

Ahhh, essa "véia", essa "véia" é minha "truta"... ...

é "truta" e é batuta, essa "véinha" é a vovó

- faz a sopinha e corre pro forró!

Mexe as "caneta" e as "cadera"

e quando chega em casa

ensina os "neto" a "falá" "bestera"...

Tô aqui sentado, rindo deste absurdo...

"Iscreví" isto aqui em dois "minuto"!!!

(autor: desconhecido... rsss)....

vixxxiiiiii maria!!!! se essa moda pega, hein....

alguém tem uma dessas pro lula?!?!

 

rsrsrstchau, tchau... bjs,

ric

 

 

 

 

 

 

LULA-LÁ!!!

por Grace

 

 

 

Mas que lula, qual o quê!

Sou muito mais nossa família que,

de artistas, está repleta...

Criatividade aqui e ali...

Pronto!

Está feita a nossa festa!!!

 

 

Mas só vai saber

quem resolver se arriscar,

pois escrever é muito fácil:

basta soltar a mão, para o coração falar!

 

Quer conferir?

Escreva certo ou errado,

não se demore na razão,

pois isso não importa!

O que vale nessa festa

é a voz do coração!

 

Venha! Você vai gostar!

 

Beijossss :-)))

(quem é o próximo??? rsss)

 

 

 

 

 CHEGUEI!!!!

por Alice Giliolli Bisi

 

 

 

Já que todos estão chegando eu também quero chegar,

No meio de tantas palavras, eu de fora não quero ficar!

É a mana Grace, a Isa ou o Ri...

Não importa quem escreveu...

Pode ser até o Diego, que nas letras não se perdeu...

 

Não sei o que acontece, talvez seja a distância,

Mas senti muita saudade da nossa bela infância...

Mana, lembra as nossas brincadeiras?

Na rua ou no quintal,

Eram tantas alegrias, principalmente no Natal!

Eram tantas expectativas pelos presentes desejados...

O papai, com sacrifício, deixava a necessidade de lado,

Realizava os nossos sonhos nos dando a boneca querida,

E nós, na nossa inocência, não percebíamos a dor na ferida...

 

Passou o tempo, fomos crescendo, cada uma seguindo seu caminho...

A distância foi se fazendo, mas não esquecemos nosso ninho.

Quase não nos falamos e ficamos a escrever,

Ou então mandamos fotos, que é pra todo mundo ver!

 

Grace, minha mana querida, você longe foi morar,

Mas o meu coração nunca deixou de lhe amar!

 

Beijos,

Alice

 

 

 

 

MANA ALICE, LICINHAMANA...

por Grace Spiller

 

 

 

Como esquecer-me de tantas

e tão boas lembranças,

gravadas na memória?

Ah, tempo bom!

Saudades de nossas crianças!

 

A carruagem do tempo segue e, com ela,

vão a juventude, muitos sonhos e atitudes...

Novas pessoas chegam, novos projetos vicejam!

Mas a família tão querida, a mana com quem brincava, 

minha parceira e amiga... como esquecê-la, Licinha? 

seremos para sempre unidas!

 

E agora, cá estamos nós, trocando carinho e perfume 

em uma nova linguagem,

e carregando toda a família nessa linda carruagem!

 

Mãe-poesia: quão generosa ela é!

Através do perfume dos versos,

veja, mana querida, une mais os nossos laços,

deita a beleza aos nossos pés!

 

Beijo carinhoso a todos,

especial pra vc, agora, Licinhamana...

 

 

 

 

 

AO NOSSO QUERIDO PAI...

por Alice Giliolli Bisi

 

 

 

Ao nosso querido pai uma simples homenagem...

Dele nunca falamos, talvez por falta de coragem!

Era um homem humilde, com um grande coração

E na nossa inocência não tínhamos noção...

 

O seu nome era Santo, o seu coração também,

Pois não media esforços para fazer o bem!

Quem com ele conviveu só tem boas lembranças,

Ele não tinha nenhuma maldade e amava muito as crianças!

O Ric que o diga, pois com ele muito brincou!

Talvez tenha lhe dado broncas, mas foi porque muito o amou!

 

Eu sinto muita tristeza por não ter-lhe proporcionado

Uma vida mais tranquila e feliz ao nosso lado...

Mas saiba pai querido o que nunca pude dizer:

O meu amor é muito grande, pena que não dá pra ver!

A gratidão nem se fale - por tudo o que nos ensinou,

Principalmente a honestidade, que nunca lhe faltou!

 

Hoje faço o que me pediu e da mamãe cuido eu...

Foi a promessa que lhe fiz naquela carta que você leu!

O destino se encarregou de me ajudar a cumprir

O que você desejou e me pediu a sorrir...

 

Saiba, querido pai - aqui estão suas filhas,

Cuidando da sua esposa e de toda a família...

Essa família Giliolli, que você tão bem formou,

São todas as suas mulheres, que você tanto amou!

 

A minha grande felicidade é saber que um dia

Vamos nos encontrar na mais pura alegria!

Aí, então, poderemos dizer tudo o que vier,

Dar muito amor um ao outro e todo o carinho que quiser!

 

Agora, paizinho querido, eu só posso desejar

Que você esteja muito feliz, no lugar em que foi morar!

Quem lhe diz tudo isso é sua filha querida:

O seu nome é Alice e foi a sua escolhida,

Para cuidar do seu tesouro - a sua morena, a Hilda,

A quem você tanto amou e por quem daria sua vida!

 

Pai, que a paz de Jesus esteja junto de você!

Peço a sua benção!

Beijos da filha Alice...

 

 

 

 

 

 SAUDADES!!!

por Sandra Spiller

 

 

Nossa gente, quanta emoção!

Eu não sei fazer versos,

mas me emocionei muito e achei tudo muito lindo!

 

Parabéns a todos vocês...

em especial, à tia Alice,

pela doce lembrança do Vô Santo,

pois, dos netos, somente eu e o Ric

tivemos a oportunidade

e a sorte de conhecê-lo melhor,

ou de esperá-lo nos buscar na escola...

de ganhar paçoca, a bola de plástico,

de comer a goiabada dele,

ou almoçar com ele

(sempre com suco de laranja!).

Ou de acordar, logo cedo,

ouvindo aquele programa do Gil Gomes... rsss

Quantas saudades... nossa!

Sem palavras, amo vocês!

Saudades... Saudades...

 

E parabéns à família pelo Gabriel!!!!

 

Beijos,

SanSan

 

 

 

 

 

GILIOLLINHAS

por Débora Giliolli Pagels

 

 

 

Ah! São tantas a homenagear

Que nem sei por onde começar...

E com vocês a palavra

É se entusiasmar,

Até mesmo de longe

Conseguiram me contagiar...

 

Pode ser em versinhos ou prosinhas...

O importante mesmo é que amo

todas as Giliollinhas!

Ou vai dizer que existem criaturas mais docinhas

Que a Gracinha, Licinha, Leninha e Isinha?

Sem falar é claro da mais doce vovó:

Hildinha!

 

Beijos da:

Dezinha

 

 

***Grace Spiller - nome de nascimento: Maria da Graça Giliolli.

Ao me casar adotei apenas o sobrenome do meu marido: Spiller.

Em família sempre fui chamada de Maria da Graça, ou Graça, ou simplesmente Maria.

Mais tarde, uma grande e querida amiga, carinhosamente, apelidou-me de Grace...

E Grace fiquei! (risos)

 

Essa Ciranda poética foi iniciada em 19/04/2006, por Isa Giliolli dos Santos (minha irmã caçula),

por ocasião da visita realizada ao meu antigo site, em especial, à seção Meus Textos, em Sala da Família.

Isa, que nunca imaginou poder se expressar através dos versos,

envolvida pelo forte cunho emocional deixou que o coração falasse,

no que foi seguida por outros membros da família,

os quais também não têm o hábito de escrever. 

 

(Ciranda editada em 12/06/2006)

 

 

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!